Celebrando a vida: idosos têm mês de comemoração e ano inteiro de assistência garantida em Limoeiro

0
87
Visualizações

Passeio a balneário e café da manhã são pontos altos de atividades que ocorreram durante todo o mês dos Idosos em outubro; já as políticas públicas perduram o ano inteiro

O que significa ser idoso? A definição universalmente aceita vem da Organização Mundial de Saúde e é baseada em único fator: a idade a partir dos 60. No mais, o antes tão temido envelhecimento hoje ganha  belos contornos de longevidade e qualidade de vida. Com o mais esperado passeio ao Balneário Águas de São Bento, e um café da manhã fechando o mês de outubro, a Prefeitura de Limoeiro não só celebrou extensamente o Dia dos Idosos, como fortaleceu ainda mais o compromisso diário com a saúde e o bem estar da população.

Quem vivenciou o turbilhão de significados diante da passagem do tempo foi a cabeleireira Maria Tavares Vieira. Perto de aposentar, aos 60 anos, Maria lembra de forma vívida a sorte de ser a única entre os irmãos a ter o aniversário festejado– por completar idade nova no 1º dia do ano. Vinda de família muito pobre, precisou ir embora para São Paulo para trabalhar logo cedo. “Cuidei de todo mundo a vida toda. Cuidei da família toda, e até hoje cuido de um sobrinho. Sou a mãezona da família inteira. Quando fiquei ‘velha’ achei ruim e estava ficando doente, com depressão”, relata.

O susto em relação às mudanças vindas com os anos a confinou dentro de casa em meio a mais sofrimento. “Eu estava me sentindo um ser humano sozinho. Estava com aparência de gente muito doente. Uma tristeza tão profunda que até as pessoas que eu amava estava irritando”. O merecido reviravolta ocorreu quando foi convidada a participar das atividades do CRAS. “Entrando neste grupo eu estou muito feliz, Estou me recuperando muito bem, mesmo”, conta.

Um dia diferente

“Digo com todas as letras. Já estive em muita cidade grande e já vivi muitas coisas boas, mas isso aqui foi um tudo na minha vida”, conta Maria Tavares. Em meio ao passeio ao Balneário Águas de São Bento, garantiu estar se sentindo uma criança de novo. Além de Maria, outras 70 pessoas aproveitaram – com toda a disposição – um dia inteiro de banhos de piscina, cachoeira e rio, além de música, hidroginástica, passeio a cavalo, passeio de trem e até mesmo uma visita a museu. Se batesse um cansaço, um redário garantia descanso, mas minutos depois os animados participantes retornavam para a diversão.

Para a secretária municipal de Assistência Social, Ana Paula Barbosa, o desenvolvimento de políticas públicas e a realização de atividades especiais perpassa, necessariamente, por cultivar o protagonismo dos beneficiários assistidos pelo CRAS.

“Como os idosos são protagonistas da história nos dias de hoje, eles vieram no ano passado e pediram para voltar este ano. Nós aceitamos o desafio e resolvemos atendê-los. Tem alguns que nunca vieram. Você pode observar a emoção de cada um em estar neste local”, relatou a gestora durante o passeio. “É um dia recheado com tudo o que tem direito, porque eles merecem”, acrescenta.

Programação estendida

Uma semana depois, no último dia do mês de outubro, mais uma grande comemoração foi cumprida: um café da manhã com beneficiários do Programa Amanhecer Feliz. O evento contou com a participação musical de Eribério Bezerra, além de bate-papo com a Psicóloga Julyanna Ribeiro, que trouxe informações pertinentes aos cuidados com a qualidade de vida e importância dos grupos no fortalecimento de vínculos e na prevenção do isolamento social.

Dança, cantoria, café da manhã reforçado, e uma garantia: toda essa assistência não começou e nem pretende terminar com o mês de outubro. “Proporcionamos um mês inteiro de comemorações mas, semanalmente, temos quatro grupos de idosos assistidos pelo Centro de Referência, que semanalmente participam de várias atividades, e têm oficinas, orientador social, psicóloga, e assistentes sociais para trazer um suporte também”, reforça a secretária.

Também enaltecendo o protagonismo dos idosos, a psicóloga e coordenadora do CRAS, Emília Ferreira, chamou atenção para as boas trocas entre o serviço público ofertado e o respeito e incentivo às iniciativas que surgem dos beneficiários assistidos. “A gente consegue abranger uma quantidade interessante de idosos, e o objetivo desses grupos é despertar o protagonismo e proporcionar qualidade de vida para eles”.

Autonomia e iniciativa: Quem são as pessoas idosas de Limoeiro?

Assistidos pelo Cadastro Único ou pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC), as pessoas idosas beneficiárias pelo CRAS em Limoeiro de Anadia possuem, segundo a psicóloga Emília Ferreira, algumas características e condições de vida em comum. “A maioria veio da agricultura, hoje são aposentados e têm o BPC, ou são pessoas que são donas de casa. Muitos já deixaram a roça e estão em casa sem muito o que fazer ou ajudam a cuidar dos netos, em uma realidade mais tranquila”, explica.

A realidade de quem passou a maior parte da vida em atividades intensas, com a terra e a enxada, termina modificando bastante quando deixam sua roça, de modo que os grupos de convivência auxiliam retomando as pessoas às atividades, e oferecendo novas possibilidades. “A gente consegue trazer mais para perto para que desenvolvam atividades rurais, arte, artesanato, e eles são o grupo mais participativo que a gente tem. É um grupo em que a gente sempre combina o que fazer e eles sempre escolhem o que querem fazer. É um grupo que realmente sempre demonstra protagonismo, autonomia muito grande”, relata a coordenadora do CRAS.

As condições dos beneficiários também terminam por refletir na escolha em relação às atividades que a Assistência Social realiza em conjunto com os beneficiários. “Sempre escolhem espaços onde tenham várias atividades, trilha, danças, muita música e diversão. É onde se sentem bem e onde a gente consegue de fato despertar neles essa qualidade de vida, bem-estar”, afirma a psicóloga.