Evitando a seca: secretário anuncia construção do barramentos no Rio Coruripe

0
135
Visualizações

Projeto foi relatado durante ação de limpeza nas margens; atividade reforça importância de sensibilização de moradores ribeirinhos com a educação ambiental

Durante o quarto mutirão de limpeza voluntário nas margens no Rio Coruripe, ocorrido nesta sexta-feira, 27, no centro de Limoeiro de Anadia, o secretário municipal de Meio Ambiente, Maciel de Oliveira, anunciou a construção de barramentos para represar as águas do rio, além de ações de peixamento para incorporar espécies vivas.

De acordo com o secretário, inicialmente devem ser construídos dois barramentos. “A ideia é que até o fim do ano possamos estar com o primeiro barramento pronto. Vamos construir os dois primeiros, veremos o resultado e, em seguida, instalaremos mais deles ao longo da extensão do rio, até onde seja possível. Vai ser importante porque, em caso de seca, manteremos o rio cheio e com espécies vivas sem perigo de extinção”, relata.

Acompanhando a instalação do barramento, há ainda a inserção de algumas espécies de peixes e outros seres do rio. “A ideia é inserção de espécies que estão em extinção no rio, como o camarão pitu. Antigamente tínhamos esse camarão com abundância e hoje já não temos. Parte em razão das pescas irregulares, e também em decorrência da poluição”, explica.

Para a integrante do grêmio estudantil da escola Francisco Domingues, Chaiana Silva, é importante que o cuidado com o rio seja diário. “Acho importante a limpeza. Não é algo que vai mudar essa realidade, mas é um pontapé inicial para que as pessoas se conscientizem de que é um espaço importante e rico a qual devemos cuidar. Também é importante que a própria prefeitura se aproprie do espaço, que fiscalize, para que as pessoas vejam como faz a diferença quando ele está limpo e cuidem”, defende.

Segundo Chaiana, a própria criação do grêmio estudantil surgiu inspirada na defesa da limpeza do rio. “Nós viemos a uma aula de campo, um piquenique, e quando chegamos deparamos com muito lixo no local. Queríamos que fosse um lugar onde pudéssemos contar para vir, ter aula de biologia, sobre fauna, flora, mas não era possível. Foi então que decidimos construir um grêmio e fizemos uma chapa onde defendíamos a revitalização do rio”, conta.

Integrante do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio Coruripe, a professora da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Josefa Adriana, concorda com a importância de um cuidado contínuo.

“Ações pontuais muitas vezes se limitam a midiatismo. Não podemos trabalhar meio ambiente sob esse viés, e sim cotidianamente. Os estudantes não podem ficar todos os dias, mas podem empoderar o ribeirinho para que ele faça esse trabalho. Estamos lançando a proposta pra poder desenvolver aqui”, comenta. “Assim, o ribeirinho limpa o rio, fiscaliza, e também recebe contribuição. A importância é que compreenda que o rio é importante para ele e ele é importante para o rio. Enquanto se limitar a uma atividade do poder público, ou que a escola limpe, não será efetivo. É preciso atribuir Às pessoas ribeirinhas responsabilidades sobre os trechos, para que se tornem protetores. Com isso, acreditamos que o resultado será positivíssimo”, conta.

A atividade de limpeza das margens aconteceu nos trechos do Beco da Baiuca, na área do antigo matadouro e na Rua da Baixa, regiões conhecidas pela intensa presença de resíduos. De acordo com a coordenadora da Comissão pelo Meio Ambiente e Qualidade de Vida – Com-Vidas – Jakeline Guilherme – foram retirados cerca de 200 quilos de lixo durante a ação.

“Podemos dizer que já encontramos a situação pior do que este ano. Ficamos felizes, mas ainda acreditamos que a população pode se conscientizar mais para que a situação de limpeza fique melhor”, relata. “Limoeiro é agraciado com duas bacias importantes e uma delas é do Rio Coruripe. Embora tenhamos essa beleza no centro de Limoeiro, a população ainda não se sensibilizou devidamente em relação à limpeza, sobretudo a população ribeirinha que tem este local em frente às suas casas, e precisam zelar dando destino correto aos resíduos”, defende. A ação ocorre em parceria com a Secretaria de Educação, Meio Ambiente, Agricultura e Educação, além da Com-Vida e do grêmio estudantil e de representantes do Comitê pelo Rio Coruripe.