Nota de solidariedade às Universidades e aos Institutos Federais do país, em especial à UFAL e ao IFAL

0
189
Visualizações
Estudantes do Núcleo de Ensino e Pesquisa Arqueológico (Nepa) da Universidade Federal de Alagoas em sítio arqueológico no município de Limoeiro de Anadia (Foto: Ascom UFAL)

A Prefeitura de Limoeiro de Anadia vem prestar solidariedade às Universidades e Institutos Federais do país, em especial à Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e ao Instituto Federal de Alagoas (IFAL), em razão do preocupante bloqueio de 30% do orçamento das despesas discricionárias, efetuado pelo Ministério da Educação (MEC), em abril deste ano.

O congelamento de R$ 1,7 bilhões, sem qualquer prazo previsto para retorno, tem provocado impacto nefasto para a ciência no Brasil, tendo em vista afetar diretamente as bolsas acadêmicas, insumos para pesquisas, compras de equipamentos necessários para laboratórios, além de despesas cotidianas e pagamento de funcionários terceirizados. Com o corte de 39 milhões de reais, a UFAL anunciou impossibilidade de manter as portas abertas após o mês de setembro deste ano. Já o IFAL, afetado com corte de 25% de seu orçamento, o que corresponde a cerca de R$ 23 milhões, também revelou inviabilidade de funcionamento.

É oportuno reconhecer que a importância das universidades e institutos federais – através da tríade ensino, pesquisa e extensão – extrapola os limites da comunidade acadêmica e se insere na sociedade de forma ampla e profunda. Particularmente em Limoeiro de Anadia, apontamos as parcerias constantes que tem respaldado técnica e tecnologicamente uma série de medidas de desenvolvimento para o município.

Destacamos, assim, o convênio de cooperação técnica realizado entre a Prefeitura junto à UFAL, que possibilita proteção à Lagoa do Pé Leve, através do tratamento físicoquimico das águas residuárias de uso doméstico, que são drenadas para a Lagoa. Também contando com total suporte da Universidade Federal, estamos desenvolvendo o programa de Economia Solidária na cidade, fortalecendo o comércio local com a moeda social Livre e o Banco do Cidadão.

Com o IFAL, também desenvolvemos parcerias relevantes e constantes. Recentemente, por exemplo, o Instituto Federal permaneceu em Limoeiro de Anadia por mais de um semestre, capacitando profissionais no município, tanto servidores da Prefeitura, quanto a população de modo geral.

Não deixaremos de mencionar, finalmente, que a existência da UFAL e do IFAL é fundamental à formação de milhares de jovens limoeirenses, oferecendo-lhes perspectivas tanto sob o ponto de vista pessoal, como para o próprio município, visto que a maioria dos egressos retornam como profissionais qualificados, contribuindo para a melhoria de condições de vida e desenvolvimento na cidade.

Queremos acreditar que o Ministério da Educação seja capaz de encontrar uma solução assertiva e verdadeiramente eficaz, que não implique em estagnar ou impossibilitar a continuidade das atividades nas UFs e IFs, o que afeta toda a sociedade beneficiada direta ou indiretamente pelo progresso acadêmico do país.